Pesquisar este blog

Traduções

Visitas


Counter

Quem Sou Eu: Fabrício Siqueira

Minha foto
Nascido na cidade de Bom Jesus do Itabapoana, no norte do estado do Rio de Janeiro. Biólogo, Astrônomo amador e autodidata em diversas áreas de conhecimento.

Email:

  • Meu email: phoenixfabricio07@gmail.com

Parceiros

Parceria



Notas do Autor

* O conteúdo dos textos postados nesta página estará sempre sujeito à revisões visando possíveis atualizações a respeito de cada tema postado. Modificações nos textos poderão também ocorrer caso haja a necessidade de corrigir erros que porventura possam estar contidos nas informações aqui publicadas.

* Caso o leitor queira tirar dúvidas ou queira maiores esclarescimentos em relação ao conteúdo das postagens, o espaço de comentários poderá ser utilizado também para este fim .

* Este Blog foi criado visando atingir um público leigo e mediano no que se refere ao conhecimento científico-filosófico e, portanto, informações complexas e detalhadas a respeito de cada tema estão além do escopo desta página. Ao final de muitas postagens são citadas referências e outras fontes para aqueles que buscam um maior aprofundamento em relação ao assunto que está sendo abordado.

* Certas imagens ou vídeos postados nesta página da web poderão conter elementos fortes e inapropriados para algumas pessoas.

24 de jul de 2010

Explorando o Universo: O Sistema Solar


"Se soubéssemos exatamente o que esperar do Sistema Solar, não teríamos razões para explorá-lo"(Paul Anderson)


Na periferia da Via Láctea se encontra uma estrela solitária que carrega consigo um elegante sistema de planetas e outros objetos a ela vinculados pela ação da gravidade. Esta estrela é o nosso Sol e os corpos sustentados por ele são os 8 planetas, seus satélites naturais, os planetas-anões, asteróides, meteoróides, cometas e a poeira interplanetária. Chamamos todo este conjunto de Sistema Solar, o nosso lugar no Universo.

Habitamos um planeta rochoso chamado Terra onde a vida se desenvolveu de um modo fascinante, culminando com a existência de seres inteligentes o bastante para dirigirem os seus olhares aos céus e questionar sobre o Universo em que vivem. Em nossas vizinhanças há também outros mundos. Outros planetas que assim como a Terra são bastante densos, compostos principalmente por rochas e metais. Estes são Mercúrio (o menor planeta do Sistema Solar) , Vênus e Marte. Há também os planetas jovianos, também conhecidos como "Gigantes Gasosos". Entre eles estão Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. São planetas formados basicamente por hidrogênio e Hélio, possuindo também anéis de partículas de rocha e gelo que os circundam, embora apenas os anéis de Saturno sejam mais facilmente detectáveis a partir da Terra. Jupiter e Saturno representam os maiores planetas do Sistema Solar.

Planetas Terresres (Ou Rochosos): Mercúrio, Vênus, Terra e Marte

Planetas Jovianos (ou gasosos): Júpiter, Saturno, Urano e Netuno


O Sol representa o principal componente do Sistema Solar, responsável por mais de 90% dae sua massa total conhecida e o plano de órbita da Terra ao Redor do Sol é conhecido como Eclíptica. Os outros planetas seguem aproximadamente este mesmo plano. O movimento dos planetas ao redor da estrela é descrito em órbitas ligeiramente elípticas com o Sol ocupando um dos focos da elipse (1ª Lei de Keppler). Obviamente os planetas mais próximos do Sol viajam mais rapidamente ao seu redor, pois são mais afetados pela sua gravidade do que aqueles que se encontram mais distantes.As reações de fusão nuclear que ocorre no interior solar são as responsáveis pela grande quantidade de energia solar produzida e liberada pela estrela. O Sol está situado a cerca de 28.000 anos luz do centro da Galáxia da Via Láctea, mantendo um período de revolução de aproximadamente 250 milhôes de anos. este período é conhecido como "Ano galáctico" do Sistema Solar.

Representação das órbitas planetárias

Entre as órbitas de Marte e Júpiter está o Cinturão de asteróides. Os asteróides consistem nos menores corpos do Sistema Solar, são compostos principalmente por minerais rochosos e metálicos e são abundantes nesta região, onde também está localizado o maior dos planetas anões: Ceres. Acredita-se que o Cinturão de asteróides seja remanescente da formação do Sistema Solar. Outros 4 planetas anões se localizam no Cinturão de Kuiper, posteriormente à órbita de Netuno : Plutão, Haumea, Makamake e Éris. O Cinturão de Kuiper é uma região similar ao Cinturão de asteróides composta principalmente por rochas congeladas de variados tamanhos. Haveria ainda uma hipotética nuvem esférica , que estaria localizada a quase 1 ano-luz de "distância do Sol e se estendendo para mais além, circundando o Sistema Solar e que seria a principal fonte de cometas que transitam pelo seu interior: A Nuvem de Oort!

Um considerável número de satélites naturais orbitam alguns dos planetas e planetas anões, sendo Ganimedes e Titan os maiores deles, girando em torno de Júpiter e de Saturno, respectivamente. A Terra possui um único satélite e Marte possui os pequeninos Phobos e Deimos, que provavelmente teriam sido 2 asteróides que foram capturados pela ação da gravidade do planeta.

Representação do Cinturão de asteróides


Exemplos de satélites naturais

Planetas-anões e seus satélites (Comparação de tamanhos com a Terra e a Lua)

Esquema representativo da Nuvem de Oort

Atualmente a origem e evolução de nosso Sistema Solar é explicada pela Hipótese nebular, sugerindo a sua origem a partir do colapso gravitacional de uma gigante nuvem molecular, a cerca de 4,6 bilhões de anos atrás. Este colaso teria dado origem ao chamado disco protoplanetário, com uma protoestrela se formando no centro. Os planetas teriam sido formados pela acresção de poeira em volta da protoestrela, formando primeiramente corpos (planetesimais) que colidiam para formar objetos maiores, e que se tornariam cada vez maiores devido a novas colisões.

Por muito tempo acreditaram que a Terra era o centro do Universo, com o Sol girando ao seu redor. Essa idéia era conhecida pelo nome de Geocentrismo. O Heliocentrismo era o oposto do Geocentrismo e colocava o Sol no centro do Sistema solar e que, embora tivesse sido especulado na grecia antiga pelo filósofo Aristarco de Samos, foi apenas a poucos séculos atrás que não apenas esta idéia ganhou força, como também uma melhor compreensão da dinâmica do Sistema Solar. Isto se devea nomes como Nicolau Copérnico, Galileu Galilei, Johannes Keppler e Issac Newton.


Animação: Formação do Sistema Solar

Embora tenham sido realizados inúmeros estudos em busca de evidências de sinais de vida em diversas regiões do Sistema Solar, a Terra corresponde ao único lugar onde comprovadamente a vida se desenvolveu, apesar de não estar descartada a hipótese de que possa haver alguma forma de vida em determinados locais, mesmo que em escala microscópica. A jornada da ciência rumo à exploração espacial nos permitiu um melhor entendimento a respeito do comportamento de nosso planeta perante à sua estrela, e também a respeito dos outros corpos que trafegam pela vizinhança. Podemos esperar que cada vez mais esta jornada irá nos surpreender e nos dar ainda mais razões para o nosso entusiasmo perante o Universo.

Referências e Sugestões de Leitura:

- http://www.universetoday.com/guide-to-space/the-solar-system/
- http://www.nineplanets.org/overview.html
- http://en.wikipedia.org/wiki/Solar_System
- http://en.wikipedia.org/wiki/Formation_and_evolution_of_the_Solar_System
- http://eternosaprendizes.com/category/sistema-solar/

[ ]´s

4 comentários:

  1. odiei passa as imagens pra português

    ResponderExcluir
  2. passa pra portugues,pra entender melghor

    ResponderExcluir
  3. jakeline dos reis souza22 de março de 2012 09:25

    adorei, vcs fizeram um trabalho super bem feito...Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. isso é uma porcaria até eu faço melhor

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails
Ocorreu um erro neste gadget