Pesquisar este blog

Traduções

Visitas


Counter

Quem Sou Eu: Fabrício Siqueira

Minha foto
Nascido na cidade de Bom Jesus do Itabapoana, no norte do estado do Rio de Janeiro. Biólogo, Astrônomo amador e autodidata em diversas áreas de conhecimento.

Email:

  • Meu email: phoenixfabricio07@gmail.com

Parceiros

Parceria



Notas do Autor

* O conteúdo dos textos postados nesta página estará sempre sujeito à revisões visando possíveis atualizações a respeito de cada tema postado. Modificações nos textos poderão também ocorrer caso haja a necessidade de corrigir erros que porventura possam estar contidos nas informações aqui publicadas.

* Caso o leitor queira tirar dúvidas ou queira maiores esclarescimentos em relação ao conteúdo das postagens, o espaço de comentários poderá ser utilizado também para este fim .

* Este Blog foi criado visando atingir um público leigo e mediano no que se refere ao conhecimento científico-filosófico e, portanto, informações complexas e detalhadas a respeito de cada tema estão além do escopo desta página. Ao final de muitas postagens são citadas referências e outras fontes para aqueles que buscam um maior aprofundamento em relação ao assunto que está sendo abordado.

* Certas imagens ou vídeos postados nesta página da web poderão conter elementos fortes e inapropriados para algumas pessoas.

29 de mai de 2009

O Sol (Vídeo)


"Abrindo seus dois olhos, Rá, o deus-sol lançou a luz sobre o Egito e separou a noite do dia. Os deuses vieram da sua boca, e a humanidade, dos seus olhos. Todas as coisas provieram dele, a criança que brilha no lótus e cujos raios são a causa da vida dos seres." (Encantamento do Egito ptolomaico/Extraído de Carl Sagan, Cosmos)


Vídeo interessantíssimo sobre o astro que nos dá a sua luz a cada dia (em Espanhol):




[ ]´s

HIV e Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS)


O Vírus HIV (Human Immunodeficiency Vírus), é o responsavel pela causa de uma enfermidade que assola os quatro cantos do planeta. Uma doença com o poder de fazer com que o sistema responsável pela defesa do organismo se torne ineficaz no combate de outras menos severas, a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS).Em todo o mundo, Uma grande quantidade de recursos é investida em campanhas de prevenção, nas pesquisas e no tratamento de pacientes portadores da síndrome. Mas o que na verdade vem a ser o HIV e de que maneira ele pode ser tão prejudicial ao corpo humano? É o que veremos nos escritos seguintes.
.
O Vírus infecta uma variedade de células do sistema Imunológico humano, entre elas, os:

.
- Linfócitos Auxiliares TCD4+:
http://en.wikipedia.org/wiki/T_helper_cell
.
- Macrófagos:
.
- Células dendríticas:
.

O Vírus foi descoberto em uma época relativamente recente, na decada de 80 e já infectou dezenas de milhões de pessoas e consequentemente milhões de mortes foram atribuídas as mazelas provenientes da imunodeficiência causada pelo HIV. Ele pertence a família Retroviridae, e gênero Lentivírus. Existem os tipos HIV- 1 e HIV-2 que apresentam pouquíssimas diferênças entre si. Seu genoma constitui de 2 fitas idênticas de RNA, possui envelope lipídico e glicoproteínas em sua superfície, responsáveis pela interação com receptores na célula q será atacada.

.
Esquema da estutura do vírus:



Vejam a animação da replicação e ciclo de vida do HIV na página do You Tube:


A AIDS começa com infecção aguda, controlada parcialmente por uma resposta imune e, posteriormente, progride p/ infecção crônica dos tecidos linfóides periféricos. A evolução da doença pode ser acompanhada pela dosagem da quantidade de vírus no plasma e pela contagem de células T CD4+ no sangue do paciente. A perda de linfócitos T CD4+ em pessoas infectadas é devido, principalmente aos efeitos tóxicos diretos da infecção pelo HIV.


O Vírus possui diversos tipos de mecanismo de evasão do sistema Imune, tais como:


1- Elevada taxa de mutação por ser propenso a erros de transcrição reversa, e desse modo pode escapar da detecção por anticorpos ou pelas células T produzidas em resposta às proteínas virais antes da mutação.

2- Presença de proteínas q mudam a expressão gênica de Células do sistema imunológico conhecidas como Apresentadoras de Antígenos
.
.
Assim escapam da ação dos linfócitos T citotóxicos:
.
.
3- A infecção pode inibir preferencialmente as respostas imunes mediadas por células. Veja o que é esse tipo de resposta em:
.

Todos esses efeitos causam uma queda grave nas defesas do paciente, podendo levar a pioras cumulativas em seu quadro clínico, e, consequentemente levá-lo à morte. Sobre a transmissão, é importante lembrar de que o vírus está presente também no sêmem e pode ganhar acesso em um dos parceiros (durante a relação sexual) através de minúsculos ferimentos q por ventura possam ocorrer durante o ato. É possível também a transmissão através do leite materno.

Os trabalhos para desenvolvimento de uma vacina se tornam complicados devido ao potencial genético do vírus p/ grande variabilidade antigênica, q é um reflexo de sua alta taxa de mutabilidade.No Blog da Revista Horizonte, há uma entrevista com o Dr. Roberto Giraldo, q defende uma "hipótese" de q o HIV NÃO seria a Causa da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Entrevista completa em:
.
.
Porém não é o q as evidências mostram, vejam em :
.
.
Infelizmente o número de casos da doença aumentam consideravelmente em todo o mundo. Enquanto não temos alguma solução, a prevenção continua sendo sempre o melhor caminho!


[ ]´s

Abraão Segundo a Visão de Voltaire


O texto a seguir foi escrito pelo pensador Francês Francois-Marie Arouet (que adotou o nome Voltaire), e representa uma visão crítica e até mesmo irônica, porém muito interessante e que vale a pena ser lido, a respeito da história do personagem bíblico Abraão:

"Abraão é um desses nomes célebres na Ásia Menor e na Arábia, como Tot entre os egípcios, o primeiro Zoroastro na Pérsia, Hércules na Grécia, Orfeu na Trácia, Odin nas nações setentrionais e tantos outros mais conhecidos por sua celebridade do que por uma história bem comprovada. Não falo aqui senão da história profana, pois quanto à dos judeus, nossos mestres e nossos inimigos, em quem cremos e que detestamos, tendo sido a história desse povo visivelmente escrita pelo próprio Espírito Santo, temos por ela os sentimentos que devemos ter. Dirijo-me apenas aos árabes; que se gabam de descender de Abraão por Ismael; que acreditam ter sido esse patriarca o fundador de Meca, onde teria morrido. O fato é que a raça de Ismael foi infinitamente mais favorecida por Deus do que a raça de Jacó. Uma e outra, é verdade, produziram ladrões. Mas os ladrões árabes foram incomparavelmente superiores aos ladrões judaicos. 

Os descendentes de Jacó não conquistaram mais que uma faixa de terra insignificante, que perderam. Os descendentes de Ismael avassalaram parte da Ásia, parte da África e parte da Europa, edificaram um império mais vasto que o império dos romanos e enxotaram os judeus de suas cavernas - que estes chamavam terra da promissão. Bem difícil seria, à luz da história moderna, ter sido Abraão pai de duas nações tão diferentes. Dizem que nasceu na Caldéia, filho de pobre oleiro que ganhava a vida fazendo pequenos ídolos de barro. É pouco verossímil que esse filho de oleiro se haja abalançado a ir fundar Meca a trezentas léguas de distância, de baixo do trópico, tendo de vingar desertos intransitáveis. Se foi um conquistador, certamente ter-se-á dirigido ao belo pais da Assíria. Se, como o despintam, não passou de um pobre diabo, então não terá fundado reinos senão na própria terra.

Reza o Gênesis que tinha Abraão setenta e cinco anos ao emigrar do país de Harã, após a morte de seu pai Tareu, o oleiro. O mesmo Gênesis, porém, diz que Tareu, tendo gerado Abraão aos setenta anos, viveu até a idade de duzentos e cinco anos, e que Abraão só saiu de Harã depois da morte do pai. Portanto é claro, segundo o próprio Gênesis, que Abraão contava cento e trinta e cinco anos quando deixou a Mesopotâmia. Saiu de um país idólatra para outro país idólatra: Siquêm, na Palestina. Por que? Por que deixou as férteis margens do Eufrates por terras tão remotas, estéreis e pedregosas? A língua caldaica devia ser muito diferente da língua de Siquêm. Não se tratava de lugar de comércio. Siquêm dista da Caldéia mais de cem léguas. É preciso transpor desertos para lá chegar. Mas Deus queria que Abraão realizasse essa viagem. Queria mostrar-lhe a terra que séculos depois haviam de habitar seus pósteros. Custa ao espírito humano compreender os motivos de tal peregrinação.

Mal arriba ao montanhoso rincão de Siquêm, obriga-o a fome a abandoná-lo. Vai para o Egito em companhia de sua mulher, à procura de com que viver. Duzentas léguas medeiam de Siquêm e Menfis. Será natural ir buscar trigo tão longe? Num país de que nem se sabe a língua? Estranhas viagens empreendidas à idade de quase cento e quarenta anos. Traz a Menfis sua mulher Sara. Sara era extremamente jovem em comparação com ele, pois não contava mais que sessenta e cinco anos. Como fosse muito bonita, Abraão resolveu tirar proveito de sua beleza. "Façamos de conta que você é minha irmã, - disse-lhe - " a fim de que me acolham com benevolência". "Façamos de conta que é minha filha" - devia dizer. O rei enamora-se da jovem Sara e presenteia o pretenso irmão com muitas ovelhas, bois, burros, mulas, camelos e servos. O que prova - que já então era o Egito um reino poderoso e civilizado - por conseguinte antigo - e que se recompensavam magnificamente os irmãos que vinham oferecer as irmãs aos reis de Menfis.

Tinha a jovem Sara noventa anos, segundo a Escritura, quando Deus lhe prometeu que Abraão, que então tinha cento e sessenta, lhe daria um filho. Abraão, que gostava de vigiar, tomou o caminho do hórrido deserto de Cades, acompanhado da mulher grávida, sempre jovem e bonita. Como acontecera com o rei egípcio, enamorou-se também de Sara um rei do deserto - O pai dos crentes pregou a mesma mentira que no Egito: fez passar a esposa por irmã. O que mais uma vez lhe valeu ovelhas, bois e servos. Pode-se dizer que, graças a sua mulher, Abraão se tornou riquíssimo.Os comentaristas escreveram um número prodigioso de volumes para justificar o procedimento de Abraão e conciliar a cronologia. Cumpre-me, pois, a eles remeter o leitor. São todos espíritos finos e sutis, excelentes metafísicos, senhores sem preconceito e profundamente avessos à pedanteria."

(Extraído de: Voltaire, Dicionário Filosófico)

[  ]´s

Inteligência


" A inteligência é uma espécie de paladar que nos dá a capacidade de saborear idéias." (Susan Sontag)


A palavra Intéligência é, segundo Michaelis (Moderno Dicionário de Língua Portuguesa), definida como: 1- Faculdade de entender, pensar, raciocinar e interpretar; entendimento, intelecto. 2-Compreensão, conhecimento profundo. 3- Filos Princípio espiritual e abstrato considerado como a fonte de toda a intelectualidade. 4-Psicol Capacidade de resolver situações novas com rapidez e êxito (medido na execução de tarefas que envolvam apreensão de relações abstratas) e, bem assim, de aprender, para que essas situações possam ser bem resolvidas. 5-Pessoa de grande esfera intelectual.6-Conluio, ajuste, combinação.

Não importando a amplitude até a qual poderia se estender o conceito de inteligência, para nós o que seria exatamente uma pessoa INTELIGENTE? Tenho uma opinião particular de que todos somos inteligentes em determinados pontos, enquanto que em outros nossa inteligência é mais empobrecida. Assim coloco a inteligência como sendo um atributo relativo, variando de indivíduo para indivíduo tanto qualitativamente quanto quantitativamente. Por exemplo, uma pessoa pode ser explêndida trabalhando com as palavras, mas deficiente em relação a números. Outra pode pintar maravilhosas telas em óleo, mas em relação à música ela perde para uma outra, que consegue criar e executar com perfeição verdadeiras sinfonias no violino. E assim por diante....

Me lembro perfeitamente que quando criança, eu costumava observar um de meus tios (naquela época, um jovem que a tempos tinha abandonado os estudos) trabalhando em uma oficina de automóveis que pertencia ao meu avô (hoje falecido). Via que ele possuia uma grande destreza no trabalho que fazia, e, logo, deveria ter bastante conhecimento sobre consertos em motores de partida, dínamos, alternadores, condutores elétricos automotivos, etc. Além disso, o que me surpreendia, era o que ele fazia na oficina quando não havia clientes ou depois que o expediente terminava: Ele tinha como passatempo, o que eu diria ser "a arte de construir robôs de lata". Era simplesmente fantástico.

Grandes latas de óleo lubrificante vazias, alguns motores elétricos, fios, lâmpadas e interruptores colocados em caixinhas feitas de madeira somado ao seu conhecimento em eletricidade (que não veio da escola, pois ele não chegou a concluir nem mesmo o ensino fundamental básico), se transformava em surpreendentes criaturas de metal, que possuiam dois terminais para os pólos de uma bateria e um controle remoto primitivo que consistia de uma caixinha de madeira com botões e com fio. Um desses robôs tinha até um "braço" que era feito com uma antena elétrica para automóveis com um imã na ponta, e que quando se apertava um botão ele se esticava e com outro botão ele poderia se deslocar até outro lugar e pegar uma ferramenta por exemplo. Inclusive, cheguei até a daníficar uma de suas criações quando tentei ligar os terminais em uma tomada de 110 volts (risos). Atualmente esse meu tio tem uma grande oficina, um bom número de funcionários, além de muitos clientes.

O exemplo acima, mostra que mesmo uma pessoa não tenha obtido conhecimentos provenientes de uma educação escolar, sempre poderá haver algo que entenderá ou executará com precisão, o que eu chamaria de aptidão inata. Isso também é um sinal de inteligência! Somos ignorantes por um lado, e inteligentes por outro; temos dificuldades em aprender certas coisas, e facilidade em outras; podemos nos dar bem em uma avaliação escolar de Geografia, mas obter uma nota baixa em Língua Portuguesa (mas professora, portugueza se escreve com "S" ou com "Z" no final??).

Assim como somos todos ÚNICOS como seres humanos, possuindo diferentes opiniões, diferentes costumes, diferentes conhecimentos, também temos diferentes tipos de inteligência e, dentro deste contexto, não há aqueles que estejam desprovidos dela, embora, como já foi dito antes, ela possa ser uma variante entre as pessoas. E mesmo que sejamos inteligentes em alguma coisa, não é sempre que pensamos de maneira inteligente, falamos de maneira inteligente, sentimos de maneira inteligente ou, principalmente, agimos de maneira inteligente. Bem aventurados sejam os que sabem cultivar com paixão, a inteligência que há em seu próprio ser.


Leitura sugerida:

A Teoria das Inteligências Múltiplas e Suas Implicações Para a Educação:

http://www.homemdemello.com.br/psicologia/intelmult.html



[ ]´s

27 de mai de 2009

Regras Para um Bom Debate


" Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até o último instante o teu direito de dizê-las " (Voltaire)

Na internet podemos encontrar variados foruns de debates, como por exemplo, nas comunidades do Orkut, onde em muitas delas há discussões a respeito de vários temas. Infelizmente, a maioria desses debates não são de boa qualidade, devido a motivos como desrespeito, intolerância e agressões devido a discordâncias ou provocações. Tomei a liberdade de escrever um conjunto de regras que considero fundamentais para uma discussão saudável:


1- Respeito entre aqueles que participam do debate

Em primeiro lugar é necessário que um indivíduo X esteja consciente de que o outro indivíduo Y que está presente no fórum é alguem que tem todo o direito de ter a respectiva opinião em relação ao tema que esta sendo debatido e vice versa. Deve ser entendido que pessoas possuem pontos de vistas diferentes, logo é comum haver discordâncias, mas não há a necessidade de se tomar como ofensa os argumentos que contrariam a sua opinião. Se alguém não pensa como você, respeite-o(a) e discutam idéias, sem atacar a pessoa.

2- Seja direto e objetivo

Proucure expor a sua opinião ou argumentação de maneira clara, da forma mais simples possível de modo a facilitar o entendimento geral. Se necessário utilize recursos como imagens, vídeos ou citações extraídas de fontes confiáveis para dar mais embasamento ao que quer expor.

3- Saiba discordar de uma opinião sem precisar desmerecer à pessoa que está debatendo com você

Quando alguem discorda da opinião de outra pessoa e essa discordância vem acompanhada de ironias, sarcasmo, deboches ou deixando transparecer uma suposta superioridade em relação a ela, na verdade está fazendo uma provocação, e assim, está sujeito a ser respondido de igual forma ou pior, podendo originar desagradáveis agressões. As vezes uma pitada de ironia serve para dar uma agitada no debate, mas deve ser controlada para que o outro não se sinta ofendido ou inferiorizado.

3- Honestidade intelectual sempre

Em um debate, não queira ser algo que você não é. Não utilize textos ou citações de outros autores como se fossem SEUS e não use mentiras para tentar fazer com que a discussão fique a seu favor. Nada contra utilizar textos de outros autores como REFERÊNCIAS , mas ao final deles, cite o nome do autor ou da fonte onde o texto foi extraído. Seja honesto consigo mesmo e com os outros.

4- Evite falácias ( veja o que são falácias em http://str.com.br/Scientia/falacias2.htm )

Evite utilizar falácias durante um debate. Colocações falaciosas são invalidas e não servem como argumentos. Uma vez identificada e classificada a falácia, demonstrada estará a invalidade da tentativa de argumentar por esse modo.


4- Evite dizer ao "oponente" de debate que ele está errado

A não ser que você possa justificar de modo coerente que ele realmente está errado

5- Proucure ter paciência caso a discussão estiver tomando um rumo em direção a agressões

Se possível, faça o que puder para contornar a situação e para que a mesma possa retornar ao normal.

6- Não distorça argumentos alheios

Não queira utilizar os argumentos do oponente a seu favor tentando fazer pequenas mudanças de modo a alterar o significado. Isto também pode ser considerado como algo desonesto.

7- Conclusões

Proucure encerrar um debate de modo sensato, sem tentar impor a sua opinião. O final de um debate ideal é aquele que deixa pre- requisitos para reflexões e possíveis aprendizados, mesmo que não haja mudanças nas posições ideológicas de cada um.


[ ]´s

Religiões, Crenças,Descrenças...(Opinião)


" Duvidar de tudo ou crer em tudo. São duas soluções igualmente cômodas, que nos dispensam, ambas, de refletir." (Henri Poincaré)

A princípio, gostaria de dizer que respeito as crenças religiosas (ou não religiosas)das pessoas assim como também respeito a descrença daqueles, que por certas razões, preferem se denominar incrédulos em relação a questões religiosas. No entanto, embora eu possa concordar em partes com ambos os lados, muitas de minhas críticas e questionamentos costumam ter como alvo algumas atitudes e/ou argumentações de indivíduos de ambos os lados (sem generalizar, é claro). Mas quando digo "crítica à argumentações ou certas atitudes" não quer dizer que a minha crítica esteja sendo dirigida contra a pessoa, mas sim à algumas (ou muitas) de suas ARGUMENTAÇÕES e ATITUDES. Também, como um estudioso interessado nas questões que envolvem Ciência e Religiões, tenho profundas críticas e questionamentos em relação ao que é pregado nas religiões e nos preceitos da descrença.

Nasci em berço católico e passei praticamente toda a minha infância sob influências religiosas,voluntárias e involuntárias. Ainda novo comecei a ler e questionar trechos das escrituras sagradas, e com o tempo também questionava e criticava o que era pregado nas igrejas. Até me interessei em conhecer outras igrejas, como as Protestantes, por exemplo. Minhas dúvidas e criticas passaram a aumentar ainda mais e então resolvi me tornar uma pessoa sem religião e assim fiquei por muitos anos. Tempos depois conheci o Espiritismo e outras filosofias espiritualistas como o Budismo e Hinduísmo. Durante algum período me classifiquei como Espírita. Vivenciei e testemunhei (e eventualmente ainda vivencio e testemunho) acontecimentos que me dão todos os motivos do mundo para acreditar em muito do que é dito pela doutrina Espírita. Porém à minha tendêndencia a dúvidas e incertezas também falam muito alto. Assim embora tivesse passado tempos defendendo convicções, os constantes questionamentos sobre o Universo e a vida me levam sempre a atualizar as minhas posições.

Também participei de inúmeros debates sobre Teísmo X Ateísmo, e após muito conhecer sobre o ateísmo, concluí que a a posição ateísta não é compatível com a minha personalidade, pois para que eu aceitasse os fundamentos ateístas, também era preciso ter uma "fé" muito grande (digamos assim). A verdade é que ambas as posições têm as mesmas possibilidades de estarem equivocadas. Cheguei à conclusão de que as religiões, filosofias relacionadas, incredulidade e afins, podem ter muitos pontos onde posso concordar, do mesmo modo que posso discordar grosseiramente em outros.Também concluo que não é necessário ser adepto de religiões para se acreditar em algo. Nesse contexto decidi que uma posição mediana entre fé e descrença seria para mim o ideal.

Não nego que posso ter as minhas crenças pessoais (todas elas baseadas em POSSIBILIDADES, e não em convicções), porém me classifico como alguem independente de religiões que defende acima de tudo, o livre pensamento. Se acredito em Deus? Bom, não acredito na figura do Deus que durante muito tempo vêm sendo enfiado goela abaixo pelas tradições Judaico-cristã, principalmente no ocidente. Mas posso seguramente dizer que acredito na possibilidade de haver uma "força superior" inteligente e ao mesmo tempo impossível de ser definida, que seria a razão maior da existência do Universo e de todos os seres que nele habitam. Essa suposta "força superior" seria o que eu chamaria de Deus, em um conceito muito mais filosófico do que religioso (Embora também considero a possibilidade de não existir algo desse tipo e do Universo não ter razão nenhuma para ser o que é, afinal, não há como se provar questões dessa natureza).

O intrigante é que a idéia de um ente superior acompanha o homem desde os primórdios de sua existência. E mesmo entre os que não acreditam existem conceitos conflitantes a respeito de Deus. As igrejas, sinagogas ou mesquitas não inventaram Deus, muito pelo contrário, elas foram fundadas em cima de uma idéia que já existia, e, que ao longo da história foi manipulada de modo a satisfazer interesses de cada autoridade. Assim vergonhosos episódios de sangue derramado sucederam em nome da religião, como por exemplo, a "Santa inquisição", que além de usar métodos rígidos para impor a ortodoxia católica, condenavam pessoas acusadas de heresia à tortura e á morte. Um tipo movimento que levava pessoas como Heinrich Kreamer e James Sprenger ( dois inquisidores dominicanos) a publicarem um "manual de diagnóstico para bruxas", um livro chamado
Malleus Maleficarum (O Martelo das Feiticeiras) "identificando supostas bruxas" e assim mulheres eram lançadas à fogueira. Outros exemplos mais recentes são os atentados terroristas e todas as ondas de violência, cometidos em nome do fundamentalismo Islâmico, que já tomaram conta das manchetes em jornais de todo o mundo.

As religiões têm as suas virtudes como também têm os as suas incoveniências e abusos. Apesar de todas as atrocidades que carregavam o seu nome, não podemos dizer que a religião em sí é a culpada, ou seja, a CAUSA dessas tragédias. A causa está na IGNORÂNCIA dos HOMENS. Se não houvessem religiões para justificarem seus terríveis atos, os homens muito provavelmente executariam os mesmos atos em nome de qualquer outra coisa.

Atualmente o tema Religião X Ciência é alvo de polêmicos debates. Crer ou não crer? Eis a questão. Ainda posso dizer que me interesso bastante pelo estudo de filosofias espiritualistas como o Budismo, Espiritismo ou Hinduísmo, Mas como já mencionei antes, ocupo a posição do meio. Em relação a Bíblia, eu a respeito como um livro histórico, mas para mim é um tipo de livro como qualquer outro, e não concordo com a grande maioria de seu conteúdo, devido a uma série de razões. O que não quer dizer que não haja algo de valor que nela possa ser encontrado.

Os motivos que levam uma pessoa a acreditar ou não em algo estão relacionados com a maneira pela qual cada um enxerga o mundo à sua volta e a vida, é uma questão de ponto de vista. Muitos dizem: " Só acredito em algo se o mesmo for provado", uma frase que eu considero incorreta. Ora, a partir do momento em que algo é COMPROVADO, não se acredita nesse algo e sim se ACEITA esse algo como sendo um fato. Neste contexto, não há mais a necessidade do verbo ACREDITAR, que ainda é mais compatível com coisas das quais não temos certezas . Assim, religiosos ou não, todos acreditamos em alguma coisa, mesmo que esta não seja ligada à religião.

Embora a ciência tenha derrubado um considerável número de crenças miraculosas, talvez os alicerces mais fortes da credulidade ( como por exemplo, a crença em Deus ou em vida após a morte, entre outras) sejam impossíveis de serem quebrados. Mas isso é algo que talvez apenas o tempo irá dizer. Talvez......


OBS: Estaremos posteriormente abordando questões mais específicas relacionadas a este tema.



[ ]´s

26 de mai de 2009

Conhecimento à Luz da Ciência


" Toda a nossa ciência comparada à realidade é primitiva e infantil, e no entanto é a coisa mais preciosa que temos." (Albert Einstein)


Nos tempos atuais é notável como a palavra CIÊNCIA se torna cada vez mais frequente no cotidiano dos cidadãos de diferentes nações. Ao sentarmos no sofá da sala e ligarmos a TV no noticiário, é comum nos depararmos com reportagens que mostram como andam os avanços das pesquisas utilizando células troncos (uma potencial e promissora terapia que poderá ser utilizada para tratar doenças neurodegenerativas como o Mal de Parkinsion, Mal de Alzheimer, doenças cardiovasculares, Artrite Reumatóide, entre muitas outras), ou descobertas espaciais realizadas com sucesso pelas missões NASA. Até mesmo o espaço publicitário do horário nobre abriga a possibilidade do telespectador tomar conhecimento de um novo produto cujos efeitos são COMPROVADOS PELA CIÊNCIA.

É surpreendente imaginar que a espécie
Homo sapiens, há alguns milênios atrás se resumia a grupos de caçadores e coletores, e que ao longo dos tempos se tornou cada vez mais bem sucedido na evolução de seu conhecimento e, sobretudo, na sua capacidade de adquirir ainda mais conhecimento. Assim aprendeu a desenvolver recursos para uso próprio, que se aperfeiçoavam à medida em que progrediam até culminar com a tecnologia que hoje se encontra presente em nossas vidas.

Nessa jornada do homem(um ser do reino animal, só que dotado de uma poderosa consciência e capacidade de raciocínio) em sua busca pelo saber, ele desenvolveu uma "ferramenta lógica" capaz de auxiliá-lo na conquista de sua supremacia intelectual e tecológica: O MÉTODO CIENTÍFICO! Este consiste em um conjunto de fundamentos teóricos e praticos, que com um certo rigor vem retirando o véu do desconhecido e revelando ao homem como o Universo funciona.

De acordo com o método, a observação de um desconhecido fenômeno representa um ponto de partida para que seja moldada a chave que poderá abrir o baú no qual a natureza escondeu os seus segredos. A partir da observação dados podem ser obtidos e hipóteses, formuladas para se tentar explicar tal fenômeno. Mas apenas isso não basta! Para ser considerada científica, uma hipótese deve ser falseável (ver : Karl Popper e a Falseabilidade como Critério Básico de Cientificidade de uma Teoria, no campo "Sugestões de Leitura"), e deve ser passível de experimentação. Os resultados de experimentações podem confirmar ou não uma dada hipótese.

Os experimentos e resultados devem então serem publicados em literatura especializada, garantindo que um experimento realizado em condições X, possa ser reproduzido por outros pesquisadores nas mesmas condições, em qualquer parte do globo. Assim quanto mais uma hipótese é corroborada por resultados similares provenientes de experimentos diversos, mais ela resiste à tentativa de ser derrubada, e, consequentemente, maior vai se tornando a sua aceitação. A partir de então podem surgir as teorias e leis que não apenas explicam um fenômeno, como também servem de pré-requisitos para que previsões possam ser feitas com base nas mesmas ou até mesmo para novas descobertas.

A ciência parte de um pressuposto de que as leis naturais seriam imutáveis e constantes. Porém é importante ressaltar que mesmo em ciências não existem verdades absolutas. Os conceitos científicos em geral podem ser apenas provisórios e uma teoria que hoje é aceita, pode, em um futuro distante ou próximo, ser derrubada desde que surja uma outra mais robusta ou que explique certos eventos com melhor precisão. E mesmo que uma teoria não seja derrubada, ela poderia vir a ser reformulada e/ou aperfeiçoada com o tempo. Outra consideração importante é que a ciência não é perfeita e existem limites para o que se pode ou não ser estudado ou inferido pelo método científico ( alías isso seria um bom assunto para uma outra postagem).

E ao longo da história da ciência, foi através desse método que Eratóstenes passou a dizer que a Terra não era plana; que Copérnico e Galileu propuseram um modelo que colocava o Sol no centro do sistema solar, derrubando o Geocentrismo Ptolomáico; que Johannes Kepler formulou leis que explicavam o movimento dos planetas em suas órbitas; que a lei da gravidade, que apareceu associada ao nome de Isaac Newton, explicava que corpos exercem atração recíproca de acordo com suas respectivas massas; que Luís Pasteur derrubava a hipótese da abiogênese (que sugeria que organismos vivos poderiam se originar a partir de matéria não viva, como por exemplo, larvas de moscas surgindo a partir de transformações que estariam ocorrendo em pedaços de carne); que Darwim propôs a evolução das espécies pela seleção natural para explicar a diversidade de organismos hoje existentes; que Edward Jenner descobriu que podia imunizar seres humanos contra doenças como a varíola, por exemplo, através de vacinas (que continham variedade bovina do vírus, menos nocivo a humanos); que Albert Einstein pode ser visto como um gênio no século XX; e que infelizmente também através da ciência o homem descobriu que as reações de fusão e fissão nuclear, poderiam ser exploradas para a criação de armas com o poder de destruir a própria humanidade......

Ficamos maravilhados com o que a ciência nos mostra na atualidade, sempre nos perguntando sobre como será o futuro, em como o mesmo se desencadeará a partir dos nossos próximos avanços científicos.


Sugestões de Leitura
.
Ciência:

http://en.wikipedia.org/wiki/Science

Karl Popper e a Falseabilidade como Critério Básico de Cientificidade de uma Teoria:

http://www.infocien.org/Interface/Colets/v01n16a012.pdf

Método Científico:

http://www.projetoockham.org/ferramentas_metodo_1.html


A Incerteza em Ciência:

http://ateus.net/artigos/ceticismo/a_incerteza_em_ciencia.php


[ ]´s

Apresentação!

É com imenso prazer que inauguro na web, este espaço, que foi criado com o objetivo de divulgarção de assuntos de cunho científico e filosófico. Este espaço também será explorado para postagens de textos, pensamentos, imagens ou vídeos a respeito dos mais diversos tipos de temas de interesse geral, como por exemplo, comportamento humano, questões da atualidade, artes, mistérios da humanidade, ceticismo e fortianismo, entre muitos outros. A intenção é construir um ambiente virtual dedicado a todos que aspiram por conhecimento e que ao mesmo tempo possam ter a oportunidade de expressar a sua opinião a respeito de determinadas questões que por aqui sejam abordadas. Gostaria de deixar claro que os textos deste Blog seguirão um padrão rígido de sensatez e imparcialidade,e, dependendo do assunto tratado, serão sustentados por fontes confiáveis. Os mesmos textos também passarão por constantes revisões no decorrer do tempo visando a correção de pequenos (ou grandes) erros, atualizações ou melhoramentos. O leitor se sinta sempre a vontade para, caso encontre algo que julgue estar incorreto, manifestar a sua observação, e caso seja constatado o equívoco, terei o maior prazer em corrigir. Todos cometemos erros, e, portanto, não raro é quando os mesmos são encontrados em linhas escritas nas páginas da Web.

E se tratando de um lugar onde opiniões pessoais também serão postadas, eu poderia afirmar com segurança, que apesar de não medir esforços para expressar as minhas opiniões, eu não as considero inabaláveis. Muito pelo contrário, as minhas opiniões pessoais sobre praticamente todos os assuntos, em geral são sempre transitórias podendo persistir caso não surjam idéias fortes o bastante para derrubá-las, mas a medida que essas idéias surgem, meus conceitos são sempre revistos e por mais que eu acredite que algo possa ser verdade ou não, SEMPRE considero a possibilidade de estar errado, afinal, a vida é uma jornada de aprendizados e quando menos espereramos, nos deparamos com surpresas.

Aos leitores que por aqui passarem, recebam as minhas sinceras boas vindas. E aqueles que se disponibilizarem à participar do blog, postando comentários, críticas ou sugestões, saibam que estarão contribuindo e muito para uma melhor qualidade do espaço, e que independente do ponto de vista de cada um, a opinião será sempre compreendida e respeitada. No mais, sejam bem vindos!

Fabrício Siqueira


[ ]´s
Related Posts with Thumbnails
Ocorreu um erro neste gadget