Pesquisar este blog

Traduções

Visitas


Counter

Quem Sou Eu: Fabrício Siqueira

Minha foto
Nascido na cidade de Bom Jesus do Itabapoana, no norte do estado do Rio de Janeiro. Biólogo, Astrônomo amador e autodidata em diversas áreas de conhecimento.

Email:

  • Meu email: phoenixfabricio07@gmail.com

Parceiros

Parceria



Notas do Autor

* O conteúdo dos textos postados nesta página estará sempre sujeito à revisões visando possíveis atualizações a respeito de cada tema postado. Modificações nos textos poderão também ocorrer caso haja a necessidade de corrigir erros que porventura possam estar contidos nas informações aqui publicadas.

* Caso o leitor queira tirar dúvidas ou queira maiores esclarescimentos em relação ao conteúdo das postagens, o espaço de comentários poderá ser utilizado também para este fim .

* Este Blog foi criado visando atingir um público leigo e mediano no que se refere ao conhecimento científico-filosófico e, portanto, informações complexas e detalhadas a respeito de cada tema estão além do escopo desta página. Ao final de muitas postagens são citadas referências e outras fontes para aqueles que buscam um maior aprofundamento em relação ao assunto que está sendo abordado.

* Certas imagens ou vídeos postados nesta página da web poderão conter elementos fortes e inapropriados para algumas pessoas.

10 de dez de 2009

Suicídio: Covardia ou coragem?


"O pior suicídio ou homicídio não é o cometido por insatisfação em vida, e sim pela satisfação em torná-la morte." (Andressa Rodrigues Revoredo)

" Não é que o suicídio seja sempre uma loucura. (...) Mas, em geral, não é num excesso de razão que nos matamos." (Voltaire)


Alguns dias atrás foi divulgado pelos veículos de informação, que a atriz Leila Lopes (que atuou em novelas da Rede Globo, tais como "Renascer" e "Rei do Gado" ) tinha sido encontrada morta em seu apartamento, na capital paulista. Segundo a polícia, foram encontradas embalagens vazias de antidepressivos. Ela deixou uma carta com os seguintes dizeres:

"Não chorem, não sofram, eu estou ABSOLUTAMENTE FELIZ! Era tudo o que eu queria: ter paz eterna com meu Deus e, se possível, com minha mãe. Eu não me suicidei, eu parti para junto de Deus. Fiquem cientes que não bebo e não uso drogas, eu decidi que já fiz tudo que podia fazer nessa vida. Tive uma vida linda, conheci o mundo, vivi em cidades maravilhosas, tive uma família digna e conceituada em Esteio, brilhei na minha carreira, ganhei muito dinheiro e ajudei muita gente com ele.

Realmente não soube administrá-lo e fui ludibriada por pessoas de má fé várias vezes, mas sempre renasci como uma fênix que sou e sempre fiquei bem de novo. Aliás, eu nunca me importei com o ter. Bom, tem muito mais sobre a minha vida, isso é só para verem como não sou covarde não, fui uma guerreira, mas cansei. É preciso coragem para deixar esta vida. Saibam todos que tiverem conhecimento desse documento que não estou desistindo da vida, estou em busca de Deus. Não é por falta de dinheiro, pois com o que tenho posso morar aqui, em Floripa ou no Sul. Mas acontece que eu não quero mais morar em lugar nenhum. Eu não quero envelhecer e sofrer. Eu vi minha mãe sofrer até a morte e não quero isso para mim. Eu quero paz! Estou cansada, cansada de cabeça! Não agüento mais pensar, pagar contas, resolver problemas... Vocês dirão: Todos vivem! Mas eu decidi que posso parar com isso, ser feliz, porque sei que Deus me perdoará e me aceitará como uma filha bondosa e generosa que sempre fui.

Aos meus fãs verdadeiros; aos jornalistas imparciais; ao Walter Negrão e sua esposa Orphilia; a LBV; ao Eduardo Gomes; ao prefeito de Itu, Herculano Neto e toda a sua equipe e ao meu amigo Zé meu muito obrigado. Às emissoras que trabalhei, obrigada. E aos colegas maravilhosos, muita luz! A todos os sites dignos que acompanharam a minha vida, SUCESSO! Ego, Esther Rocha, Thiago, Odair Del Pozzo, Felipe Campos, não se sintam esquecidos. Não posso citar nomes de amigas, pois aí seria um livro, mas Sueli você é a irmã que eu não tive. Márcia, seja sempre feliz amiga. Magrid, obrigada por tudo! Andréia, do TV Fama, beijo amiga. Tadeu (di Pietro) cadê você??? Desculpe a quem eu esqueci, a vida foi muito mais maravilhosa do que sofrida para mim. Obrigado Jesus, Nossa Senhora e meu Deus, perdoem-me e recebem-me como a filha honesta e bondosa que sempre procurei ser! Fiquem com Deus, todos! Leila Lopes.

Se existe sentimento maior que o amor, eu desconheço!"

Fiquei a pensar no quanto é triste ver uma pessoa perder o gosto pela vida a ponto de renunciá-la, e no quanto deve ser triste para a família e amigos, além de suportar a perda, ler as palavras deixadas pela pessoa, constatando que se tratava de alguem que estava decidida a dar adeus ao mundo. Seria o suicídio um ato de coragem? Covardia por demonstrar incapacidade de suportar os problemas da vida ou resolvê-los? Eu pessoalmente diria que é preciso ter coragem para realização do ato de tirar a própria vida, porém acho que covardia talvez seja uma palavra muito forte para atribuir ao suicídio, pois as causas do mesmo podem ser intrigantemente complexas. Na maioria dos casos, desespero poderia ser a palavra mais apropriada.

Ao longo da história e também em tempos relativamente mais recentes, casos de suicídio se tornaram famosos devido aos célebres nomes envolvidos, embora alguns desses casos sejam bastante controversos. Entre eles temos: Cleópatra; Carlota Joaquina (esposa de Dom João VI); Adolf Hitler; Alberto Santos Dumont, Getúlio Vargas; Vincent van Gogh, Kurt Cobain (Vocalista da banda Nirvana), Camilo Castelo Branco; entre outros.

Extremistas (notavelmente os fundamentalistas islâmicos) costumam virar notícias em páginas de jornais do mundo inteiro realizando ações terroristas que além de tirar a própria vida, levam a vida de outras pessoas. E o que é pior, eles acreditam profundamente que estão fazendo a coisa certa e que serão recompensados por Alá pelo seu ato de "heroísmo". O maior desses atentados tirou a vida de cerca de 3.000 pessoas em 11 de Setembro de 2001, nos EUA. Ao contrário de casos deste tipo, maior parte dos suicídios cometidos estão ligados à destúrbios de ordem psiquiátrica, muitos deles em associação com o estado emocional provenientes de fatores externos. Segundo algumas religiões, o suicídio é visto como um grave pecado, pois a ação de matar a si próprio é visto como "matar também a própria fé".

O suicídio afeta países de todo o mundo sem distinção de classes sociais, destacadamente paises como a China, Rússia, Japão e outros. A depressão costuma ser uma das principais causas e que pode estar relacionada com aflições extremas vistas pelo suicida como um problema sem solução; sentimento de perseguição; perda de vontade de viver, seja por situações como desemprego, separações, morte de pessoas queridas, etc.; doenças físicas incuráveis como AIDS ou o câncer que podem levar ao desespero pelo seu estado.

Psicoses e transtorno de personalidades podem também serem apontadas como uma das causas relevantes. Os suicidas em geral, deixam cartas com mensagens de despedida para pessoas da família, amigos ou cônjuges. Há também aqueles que se matam para se "vingarem" de alguem, principalmente nos casos de separação onde uma pessoa se torna inconformada por não estar mais junto da outra e realiza o ato para tentar induzir um sentimento de culpa nesta pessoa.

Seja qual for a causa, as consequencias de um ato de suicídio são bastante dolorosas para as pessoas que eram próximas do suicida. Eu me pergunto: Por quê tomar tal decisão? Seria mesmo a solução? Será que os acontecimentos tristes da vida são mesmo maiores do que a capacidade de superação do indivíduo? Falando como alguem que já foi afetado pela depressão (mas consegui me recuperar muito bem), eu sou da opinião de que viver é sempre a melhor escolha e que todos podemos ter a capacidade de superar qualquer sofrimento. Porém não creio que eu possa utilizar o meu modo de pensar para julgar as causas ou as justificativas dos suicidas. Cada ser humano é um Universo único, com infinitas maneiras de interpretar a vida e de lidar com os problemas da mesma. Podemos mesmo, de uma maneira geral, nos referir aos suicidas como sendo pessoas covardes? Minha resposta é: Não sei! Porém a questão permanece como tema de reflexão....

Sugestão de leitura

Suicídio e timidez (Análise psicológica):

http://antonioaraujo_1.tripod.com/psico1/portugues/suici/suici.html


[ ]´s

8 comentários:

  1. Bom texto, coerente e objetivo, claro e direto.

    ResponderExcluir
  2. Suicidio não é fugir dos problemas, e sim ser vencido por eles.Como já ouvi falar e por bastante óbvio que seja...acabamos esquecendo algo tão importante:Não há "talvez"e nem "desisto" depois da morte.Como diz Toquinho:"A gente mal nasce, começa a morrer".Então porque acelerar a partida nesse mundo?Viver é bom demaisssssssss e eu acho muito pouco o tempo em que vivemos.Se pudesse viveria quantas vezes fosse preciso e aproveitaria cada instante ao lado das pessoas que amo.Quando uma pessoa toma a decisão de suicidar-se , apenas evidencia que sua morte interior já havia concretizado antes .

    kisses

    ResponderExcluir
  3. Ah, se tudo fosse tão simples! Ah, se viver fosse só estar nesse mundo. Oras, se a pessoa estivesse de fato viva, jamais se mataria. E quem disse que alguém se mata por não suportar problemas? Quem nesse mundo suporta problemas, me digam? Nós vivemos apesar dos problemas por que temos mais motivos de alegria do que de tristeza. A vida é boa "demaaaaaais" (como quis escrever a pessoa acima e trocou o "a" por "s") quando os problemas são menores do que a nossa capacidade de solução. De onde tiraram isso de que o suicídio é uma desistência da vida? Onde está escrito essa constatação tosca? A pessoa só deixa um festa (metáfora da vida)quando não está mais se divertindo e não encontra mais nenhuma satisfação ali. Ah, se as pessoas não olhassem para os outros como se fossem cópias de si mesmas em suas experiências...

    E a qualificação de "covardia" ou "coragem"...como assim? Suicídio seria convardia por que a pessoas não quer enfrentar os problemas da vida...como se a vida de todos fosse um penca de problemas, um guerra constante desde o momento que se nasce até o momento que se morre. E quem renunciasse a isso seria considerado "covarde", é isso? Que bobagem.

    Ou coragem? Como se quem se mate devesse ser posto num pedestal por querer livremente enfrentar o mais terrível e invencível dos inimigos, a morte. É por isso que se chamaria covardia o ato do suicídio?

    Nem uma coisa nem outra. Esses conceitos são puro achismo.

    Não se suicida por covardia ou coragem, ou por que se "perdeu o gosto" pela vida.

    Se suicida quando a perspectiva de um futuro de prazer e alegria (únicas coisas que mantém tantos "corajosos" sobre a terra) não é mais possível. E só.

    Suicídio é uma necessidade a que muitos tem de se submeter, para não enlouquecerem e não se transformar e meros zumbis rastejando sobre a terra.

    ResponderExcluir
  4. "E a qualificação de "covardia" ou "coragem"...como assim?"

    R: Escolhi estas duas "qualificações" (entre aspas como vc mesmo colocou) para o texto devido ao fato de q o senso comum costuma tratar desta forma o ato do suicídio. Rotulam os suicidas de covardes e/ou os chamam de corajosos por terem tirado a própria vida. Mas como vemos a questão não é tão simples.

    [b]"Suicídio é uma necessidade a que muitos tem de se submeter, para não enlouquecerem e não se transformar e meros zumbis rastejando sobre a terra." [/b]

    R: Talvez assim seja em alguns casos, mas eu particularmente não me atrevo a generalizar. Aqui vc utilizou o termo "necessidade", embora outros tb possam estar relacionados na questão do suicídio! ;)

    [ ]´s

    ResponderExcluir
  5. a pessoa só decide se suicidar quandao percebe que sua luta está sendo en vão.pois além de passar por várias provações da vida ,olha para trás e vê que tudo o que lutou não valeu de nada, e também quando acha que esta atrapalhando a vida de quem as rodeia e este é meu caso

    ResponderExcluir
  6. Sr(a)Anonimo(a),

    Sinceramente não sei o q te dizer, mas espero q pense bastante no q vai fazer. Para mim é muito triste ler o q disseste. Abraços!

    [ ]´s

    ResponderExcluir
  7. Mas fazer o quê? É um direito dele, afinal. Ninguém escolheu entrar nesse mundo nem assinou contrato para permanecer por tempo determinado. Se até nos contratos desse mundo, nós podemos voltar atrás e recindí-lo, o que dirá sobre a nossa estadia nessa terra que não escolhemos...

    Gosto do texto de Rubem Alves falando sobre suicídio que postei no meu blog como homenagem a Leila.

    Se me permitir:

    http://andrushasspace.blogspot.com/2010/03/homenagem-leila-lopes.html

    ResponderExcluir
  8. Belo texto!!


    (sou o anônimo q vc não gosta muito... rs) PS: Sou anônim(A)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails
Ocorreu um erro neste gadget